Prato Principal

Delícias de São João

Por - Joenio Dessaune.

lll-1132x670.jpg

Delícias de São João - Gastronomia a base de milho, tradicionalidade e espiritualidade,. Foto: Banco de dados.

“O balão vai subindo

Vem caindo a garoa

O céu é tão lindo

E a noite é tão boa

São João, São João,

Acende a fogueira

Do meu coração” (Cantiga)

Essa é uma cantiga entre as várias cantigas que embalam as Festas de São João pelo país. Essa é a época do ano em que o Brasil inteiro celebra suas origens caipiras. O São João, assim como as outras datas de santos juninos, é uma comemoração típica das pequenas cidades, do interior, apesar de algumas capitais também realizarem belas comemorações que

nos remete a ancestralidade. Existem festas de São João que são verdadeiros espetáculos e que atraí turistas do mundo todo, como é o caso de Campina Grande (PB) e Caruaru (PE) e Mossoró (CE) que são consideradas as maiores do país.

Devido ao momento em que vivemos, muitas pessoas perderão a oportunidade de viver essas grandiosas quermesses que além de lindas e animadas, oferecem um verdadeiro festival gastronômico e são vistas como instrumentos culturais e sociais em suas regiões. Mas nem tudo está perdido e ainda é possível preparar a festa de São João de uma maneira mais intimista e comemorar em frente da sua casa, junto com a família e amigos mais chegados, com uma fogueira acesa onde se assa o milho, afugenta o friozinho e se conta os causos famosos da família. É época de dançar forró, beber quentão, licor e, principalmente, comer as mais deliciosas comidas típicas da festança e trazer felicidade para o lar nesse dia. Lembramos que nesse dia a gente tem a dança da quadrilha, da cobra, da fogueira, o casamento na roça, o pé-de-moleque fresquinho, o bigode feito de lápis preto e as pintinhas na bochecha da molecada. Além do Chapéu de palha, fogueira, bandeirola, pipoca quentinha e muito “olha o túnel”.

A Gastronomia

A gastronomia é uma atração à parte nos festejos juninos e reúne os elementos e a diversidade da culinária de cada região com muita criatividade e sabor. O quentão, o pinhão assado e até o caldo verde são mais comuns nas regiões frias. Já a paçoca ganha versões regionais, como a de amendoim ou a que é feita de carne de sol socada no pilão com farinha de mandioca e que é muito apreciada com feijão verde. Os bolos, doces, cocadas, amendoim, pipoca e arroz doce também integram o cardápio da festa e são tão indispensáveis quanto os ritmos que embalam as comemorações. Mas não é só isso, já está com água na boca? Então se prepare por que além dos pratos típicos encontrados por todo Brasil ainda tem canjica, pamonha, carne-de-sol, bode com macaxeira, tapioca, arrumadinho, fava, creme de galinha, péla-égua...

Comidas Típicas - A gastronomia é uma atração a parte nas festas juninas. Foto: Banco de Imagens

Tradição nordestina

467308ca-3855-44ac-b778-99a2db9ba798.jpg

Chef  Carlos Rocha - cozinha afetiva nas festas juninas. Foto: Arquivo Pessoal

Aqui no Nordeste onde a festa Junina é bem forte, a tradicionalidade e a religiosidade traz a tona o conceito de cozinha afetiva, pois reúne a família e amigos na preparação das receitas. A culinária típica são os pratos feitos normalmente à base de milho como canjica, o curau, mungunzá, pamonha e bolo de milho, por exemplo, e, dependendo da região onde for realizada, a culinária pode ter um caráter peculiar, mas o milho verde entra como o principal ingrediente do cardápio. E isso não é por acaso, pois as celebrações em homenagem a Santo Antônio, São João e São Pedro coincidem com a colheita do milho, cujo ciclo depende da intensidade das chuvas no sertão. E a tradição diz que quanto mais chuva no início do ano, maior será a gratidão do sertanejo para comemorar a colheita farta. Lembrando que em outras regiões o mugunzá também é conhecido como canjica, enquanto a canjica nordestina vira curau em outros destinos” é o que diz o Chef Carlos Rocha que trabalha como Personal Chef e presta consultorias para restaurantes e eventos em Alagoas.

No Maranhão, o camarão é a estrela muitos dos pratos típicos juninos. Natural de rios e mares, ele aparece salpicado com gergelim, como recheio de torta, no maravilhoso vatapá e na comida mais comum das festas juninas maranhense: o arroz de cuxá, que leva além do camarão uma planta chamada vinagreira, também tradicional no maranhão. Em Caruaru (PE) tem o cuscuz gigante e outras comidas típicas do período junino produzidas em tamanhos monumental enchem os olhos (e os estômagos) da população local e dos turistas que visitam a cidade durante o São João. As chamadas “Comidas Gigantes” são uns dos principais atrativos da festa, que busca sempre se modernizar mantendo um pé na tradição. Bolo de milho, cuscuz, tapioca, bolo barra-branca, canjica… – a lista segue. São mais de 40 opções para quem deseja conhecer mais sobre as tradições do interior pernambucano e sua gastronomia.

São João Virtual

Muitas festas juninas espalhadas pelo Nordeste foram canceladas devido à pandemia, mas as maiores foram adiadas as apresentações físicas, mas serão realizadas de forma virtual com shows que tem a intenção de arrecadar doações para as famílias afetadas pelo cancelamento dos eventos. Como é o caso de Campina Grande que realiza o maior São João do Mundo. “O nordestino passou por muitas dificuldades, mas é alegre. Sempre faz acontecer, mesmo nas dificuldades. Teremos um mês atípico, mas com muita esperança, em que as famílias irão se reunir, com culinária à base de milho, em volta da mesa para ver as lives dos artistas”, diz Rosália Lucas, secretária de Turismo de Campina Grande ao site Estadão.

ef538115-ae59-47ed-936c-9735866838f0.jpg

E-Book Especial São João

E-book de receitas do Chef Carlos Rocha
100% Grátis